segunda-feira, 26 de julho de 2010

traças visíveis



"O BRASIL, com sua fina armadura moderna colada sobre esse imenso continente fervilhante de forças naturais e primitivas, me faz pensar num edifício corroído cada vez mais de baixo para cima por traças invisíveis. Um dia, o edifício desabará, e todo um pequeno povo agitado, negro, vermelho e amarelo vai se espalhar pela superfície do continente, mascarado e munido de lanças, para a dança da vitória."


Por Albert CAMUS, em visita ao Rio de Janeiro em 26 de julho de 1949.




ANIVERSARIANTES do dia



1875 - Nasce Carl Gustav Jung, psicólogo suíço.


1894 - Nasce Aldous Huxley, escritor britânico.



1908 - Nasce Salvador Allende, presidente do Chile entre 1970 e 1973.


1856 - Nasce George Bernard Shaw, dramaturgo irlandês, Prêmio Nobel de Literatura em 1925.



1943 - Nasce Mick Jagger, vocalista dos Rolling Stones.



1928 - Nasce Stanley Kubrick, cineasta norte-americano.

sexta-feira, 23 de julho de 2010

HIV CAMPAIGN 2009 - parte 2

Bring Me Flowers!, Elena Mora, Itália

Be Careful With Your Connections, Paulo Melo, Portugal

Don´t Use Condom, Stefano Lionetti, Itália



Double Sentence, Itália
Talk About It Is Not a Crime, Marche Aline, França






Practice Education, Not Repression, Michal Janicki, EUA


HIV Is Not a Crime, Sanluca Delfinis, Itália



Crime!, Selcuk Ozis, Inglaterra



HIV Positive, Giovanni Mastroeni, Itália
Cartazes da campanha "HIV/AIDS", publicados em http://good50x70.org/2009

quinta-feira, 22 de julho de 2010

afogado no QUASE mesmo





"O bomba membói, espetáculo extraordinário. É uma espécie de balé grotesco, dançado pro máscaras e figuras totêmicas, sobre o tema que é sempre o mesmo: a matança de um boi.
Sobre esse tema, os personagem improvisam em parte; por outro lado recitam um texto em verso, sem parar de dançar. As márcaras são extraordinárias:dois palhaços vermelhos, um cavalo-marinho no interior de um cavalo de mentira, uma cegonha, um fanfarrão vestido de gaucho.Dois índios e, naturalmente, o boi, o “morto carregando o vivo”, espécie de manequim com dois corpos, o filho do vcavalo, o potro saltador, um homem de pernas de pau, o crocodilo e, dominando o conjunto, uma morte de pelo menos três metros de altura, que contempla o espetáculo com a cabeça lá no alto, no céu da noite.
(...) A origem religiosa é evidente, mas tudo isso afoga-se numa dança endiabrada, mil invenções graciosas, finalizando com a morte do boi, que renasce logo depois,e foge levando uma menina entre os chifres.
A conclusão num grande grito:
“Viva o senhor Camus e os cem reis do Oriente”.
Volto para o hotel, entorpecido pela gripe.


por Albert Camus, Recife, 22 de julho de 1949.

terça-feira, 20 de julho de 2010

um certo KAYMI


Depois do jantar, Kaymi, um negro que compõe e canta todos os sambas que o país canta, vem cantar com seu violão. São as canções mais tristes e mais comoventes. O mar e o amor, a saudade da Bahia. Pouco a pouco, todos cantam e vê-se um negro, um deputado, um professor da Faculdade e um tabelião cantarem esses sambas em coro, com uma graça muito natural. Totalmente seduzido.”

Por Albert Camus, em 20 de julho de 1949.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

depressão pós-peladas


"Campeonatozinho mixuruca, não tem nem segundo turno."

Garrincha, após a Copa de 1958.

Caricatura por BAPTISTÃO.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

canja em escarcéu




SONETO IMPATROCINADO
Texto e frustração por Marco de Araújo Bueno

"A bola não é inimiga, como o touro numa corrida"
João Cabral de Melo Neto, in 'Museu de Tudo'

"
Contrariando o João Cabral
Jabulani é inimiga!
(Vida própria, essa boçal?)
Qual um touro na corrida;

Nesta Copa surreal,
Vuvuzela faz babel-
Ensurdece o ‘keeper-goal’;
Jabulânico escarcéu.

Oito gomos, muita franja,
Voa a esmo, sobe a mil !
(Não à toa deu ‘laranja...)

Jabunela-vuvulanja,
Que só mela e entorna a canja:
- Fique à puta* que a pariu!



{*- Empresa sob cujo patrocínio nasceu a bola Jabulani}

terça-feira, 6 de julho de 2010

O JAZZ em pessoa



Louis Daniel Armstrong, morto em 6 de julho de 1971.



segunda-feira, 5 de julho de 2010

utensílios semivivos


A bola não é inimiga como o touro, numa corrida;
e embora seja um utensílio caseiro e que se usa sem risco, não é o utensílio impessoal,
sempre manso, de gesto usual:
é um utensílio semivivo, de reações próprias como bicho,
e que, como bicho, é mister (mais que bicho, como mulher),
usar com malícia e atenção,
dando aos pés astúcias de mão.

João Cabral de Melo Neto